MENU
Sem título, óleo sobre platex, 61 x 61 cm
Lilanga, óleo sobre platex, 61 x 61 cm
Lilanga, óleo sobre platex, 61 x 61 cm

George Lilanga

9711
0

George Lilanga nasceu em 1934 em Kikwetu, aldeia no sul da Tanzânia. Como a maioria dos jovens Macondes, aprendeu a esculpir as raízes de kassava antes de começar a trabalhar o pau-preto (mpingo) sob direcção de Mzee Sumaili.

Em 1974 George Lilanga decide tentar a sua sorte em Dar-es-Salaam onde se junta a um grupo de escultores. A sua grande oportunidade surge quando Lilanga é contratado como guarda na “Nyumba ya Sanaa” hoje chamado Centro Cultural Nyerere. Lilanga teve oportunidade de mostrar as suas esculturas à administração do Centro que imediatamente reconheceu o seu talento e lhe pediu para mudar de funções. Mais tarde Lilanga começou também a desenhar e a trabalhar em batique. murais, tela e pele de cabra. Hoje,é ainda possivél observar algumas criações de Lilanga por exemplo nos portões metálicos da “Nyumba ya Saana” e nas decorações em cimento ao redor do pátio.

Um passo importante na carreira de George Lilanga ocorreu em 1978. Uma exposição colectiva organizada em Washington D.C. continha cerca de 100 peças suas. O Washington Post comparou o seu trabalho à Art Brut de Jean Dubuffet. A partir daí George Lilanga obteve exposição internacional e participou num número impressionante de exposições por toda a Europa, Japão e Estados Unidos. Após obter o reconhecimento da crítica ocidental, o artista Tanzaniano tornou-se um representante da vivacidade das pinturas Swahili. É hoje unanimemente considerado um dos maiores representantes da Arte Contemporânea em África.

Nada disto o afastou da sua terra Natal. Contribuiu apenas para a manutenção da sua tribo e simultaneament atrair atenção para a sua cultura. Lilanga apresenta a cultura e mitologia do seu povo através das suas telas com figuras vibrantes e coloridas. O movimento rítmico representa a dança Mapico, típica do seu povo.