MENU
Pano de cena, oleo sobre tela, 100 x 80 cm, 1971

Domingos Pinho

3825
0

Domingos Rodrigues de Pinho nasceu no Porto, em 29 de julho de 1937.

Em 1960 concluiu a Secção Preparatória para os cursos de Pintura e matriculou-se na Escola Superior de Belas-Artes do Porto. Concluiu o Curso Geral de Pintura em 1966 com a classificação de 17 valores e o Curso Complementar de Pintura em 1969, com 20 valores.

Iniciou em funções na ESBAP em 1973. Em 1987 era assistente e em 1989 prestou provas de agregação. Cessou funções em 2001 e aposentou-se no ano seguinte.

Domingos Pinho foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, o que lhe permitiu viajar pelos principais centros artísticos europeus (1966) e estudar o “Realismo do século XX” (1978).

Pinta desde os 15 anos, tendo experimentado diferentes estilos pictóricos como a geometrização, o abstracionismo, o hiper-realismo, a pintura metafísica e o expressionismo. Expõe de forma coletiva desde 1957 e individualmente desde 1963.
Tem obras em vários museus portugueses, como o Museu Nacional de Soares dos Reis, no Porto, o Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso, em Amarante, o Museu de Ovar, o Museu Municipal de Estremoz, o Museu Nacional de Arte Contemporânea e o Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. A sua obra está representada em coleções particulares, no país e no estrangeiro. Em 1986, a Galeria Nasoni, Porto, dedicou-lhe uma exposição antológica.

Foi um dos fundadores da Cooperativa Árvore (Árvore – Cooperativa de Atividades Artísticas),em 1963, e da revista de arte e letras intitulada “Paisagem”. Exerceu também atividade como artista gráfico e ilustrador.

O reconhecimento da sua obra tem merecido diversos prémios. Entre eles, os prémios “José da Costa Meireles” (Desenho), “Rodrigues Soares” (Pintura), “D. Ricardina da Costa Meireles”, “Rotary Club do Porto” e “Três Artes”.

Grande admirador de Picasso, vive e trabalha entre o Porto e o Gerês.
(Universidade Digital / Gestão de Informação, 2012)